Figuras ocultas no passado renascem no presente: As esculturas de Évora (1830-1930)

Nesta exibição, a investigadora do CIDEHUS María Zozaya-Montes mergulha nas principais esculturas de Évora do Século XIX até à chegada da ditadura. Devido ao passado complexo das esculturas, descobriu que a maior parte está oculta. Assim, resgata numerosas imagens de bustos escondidos desde 1910, como as figuras mutiladas dos monarcas de Portugal do Museu Nacional Frei Manuel de Cenáculo. Mostra o papel desempenhado pelas esculturas para mobilizar o ideal do Estado Nação em Portugal, promovendo tanto tendências monárquicas como republicanas lusas. Revela esculturas que são custodiadas nas associações privadas da cidade, como a Sociedade Harmonia Eborense. Inclusive, descobre uma peça inédita que conseguiu identificar em Évora de um dos mais importantes artistas de Portugal, Simões de Almeida sobrinho (1880-1950). Este vídeo será exibido em duas sessões no dia 18 de Abril às 11h e 17h pelas plataformas: Facebook do CIDEHUS e YouTube do CIDEHUS. Posteriormente também estará disponível para livre acesso nestas plataformas.

 



Cite this blog post
Maria Zozaya (2021, April 15). Figuras ocultas no passado renascem no presente: As esculturas de Évora (1830-1930). SOCYHUME: sociabilidad y patrimonio. Retrieved June 17, 2024, from https://doi.org/10.58079/ug8s

One thought on “Figuras ocultas no passado renascem no presente: As esculturas de Évora (1830-1930)

  1. Pingback: El significado de las estatuas y de la violencia colectiva contra ellas. – Corporativismo y grupos profesionales

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.